Uma espécie de doidos à solta.

Caros Senhores do Diário Insular,


"A situação não é de agora" e já várias pessoas se queixaram da vossa palermice. Hoje é a minha vez.


É, de facto, chato viver numa sociedade que aceita os deficientes. Podíamos mandá-los para uma câmara de gás, enterrá-los vivos ou trancá-los em instituições apologistas dos maus tratos. Mas não, tinha de haver gente que acredita na reabilitação e na inclusão social.


É verdade que Angra do Heroísmo tem uma casa de saúde. É verdade que todos os dias alguns utentes saem. Quando vivia na Terceira, via os residentes de São Rafael à porta da instituição à hora de almoço à espera do autocarro. E depois era uma chatice, lá vinham os deficientes para o Centro Histórico.


É verdade que muitos optam por ir a pé. Sei bem o que é conduzir com receio de atropelar um deles. Mas não é uma obrigação dos condutores andar com atenção aos perigos iminentes? Sabendo que tem uma casa de saúde, não temos o dever de abrandar? Eles são deficientes, mas quem conduz não. À excepção dos senhores do DI.


O DI afirma que é fácil confundir os deficientes com pedintes e, não contente com a brincadeira, acrescenta " não é abonatório para uma cidade como a nossa ver-se inundada de pedintes". O DI está preocupado com a opinião dos turistas. Eu quero que vocês se lixem...com "F".


Eu até podia ignorar este artigo, uma vez que vivo no Pico. Mas não consigo. E não consigo porque sou familiar de um desses deficientes que todos os dias inundam a nossa cidade. É verdade, é uma chatice ser parente de uma pessoa que não contribui para a boa imagem da nossa Angra do Heroísmo. Mas sabem que mais, senhores do DI? O meu familiar era normal e hoje é um residente da instituição. É crónico, vive lá, sai todos os dias para dar o seu passeio, tem a sua pensão de invalidez. Sabiam que este deficiente trabalhou e descontou? O pedinte afinal até produziu alguma coisa antes de virar parasita.


Senhores do DI, o que não é nada abonatório para a imagem da nossa cidade é um orgão de comunicação intolerante. O que envergonha qualquer angrense é alguém achar-se no direito de atentar contra a dignidade de um grupo social. Sim, são deficientes mas têm direitos consagrados e inalienáveis. É uma chatice, bem sei, mas temos de viver com isso.


 


 


DI_Sao_Rafael


 


 


 


 

Comentários

  1. Está visto.
    Não posso ir a S. Rafael, não vão eles ser "vagos" com o conceito de (d)eficiente. Aí, estou lixada...


    Beijinho,

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Facebook

Mensagens populares deste blogue

Comentários que merecem ser post.