Mulher (grávida) sofre!

Tenho andado desmotivada com o ginásio. Aquela história de uma pessoa ir para lá andar numa passadeira e depois pedalar, estava a dar comigo em doida.
Nunca gostei de ginásios. Acho que são uma perda de tempo. Não se aprende nada de novo e estamos ali - num ambiente carregado de suor! - a ver o tempo passar. E a partir do momento em que pagamos couro e cabelo, fico ainda mais nervosa.
Pois bem, ontem foi diferente.
Estava eu na passadeira quando o instrutor me disse:

- Tenho ali uns exercícios preparados para fazeres entre a passadeira e a bicicleta.

Epá, surgiram foguetes na minha cabeça. Aleluia! Praise the Lord!Finalmente iam pôr-me a fazer uma coisa diferente!

Terminei os meus 40 minutos de passadeira e lá fui ter com o homem.
E foi aí, Pessoas, que o terror começou.

Eu não estava preparada para aquilo.

O homem foi buscar pesos (!!!) e mandou-me fazer uma porrada de agachamentos com aquilo nas mãos.

- Se não conseguires fazer todos, não tem problema.

Desculpa? Bitch, please, cheguei a fazer 45 flexões no aquecimento do Krav.
Poucos segundos depois, estava que não me juntava. Mas continuei até terminar a série.



Segundo exercício: Deitar no tapete e elevar a anca.
Confesso que este exercício até me ajudou com as lombalgias que tenho tido. Vamos ao próximo!

Dar um passo em frente e ir com o joelho de trás até ao chão. Depois alternar.
Tenho a dizer que a minha coordenação motora é semelhante à de uma pessoa que acabou de virar uma garrafa de vodka.
Lá fiz a série completa, mas nesta altura já estava a limpar o suor com a toalhinha que levei de casa. No meio daquela gente que transpira pranchas, abdominais e flexões, eu senti-me como se tivesse 250 anos. Uma velha a dever anos à cova.

Último exercício: 

Não é a coisa mais difícil do mundo, mas quando estás toda partida dos exercícios anteriores até custa respirar. Fui alternando as pernas e braços e lá fiz a série.
Estava tão orgulhosa! Estou em baixo de forma, mas vou-me safando.

O instrutor perguntou-me se queria repetir o circuito. Escuta?! Repetir?! Jovem, é uma sorte estar em pé!
Optei pela bicicleta e uns alongamentos finais, com a promessa de que na Sexta faria duas vezes os exercícios propostos. Mas hoje estou tão dorida, que não sei se tenho coragem para ir ao ginásio amanhã.
Estão a tentar transformar-me numa Carolina Patrocínio...

Comentários

  1. Praticaste Krav Magá? eu também!

    Mas em relação ao post, querias coisas diferentes, tiveste ahahahah

    ResponderEliminar
  2. Pratiquei na ilha Terceira. Adorava e foi das coisas que mais me custou deixar.
    Quando vim para o Pico comecei a praticar Kickboxing, para manter. Contudo, estive parada nas primeiras 12 semanas de gravidez, por indicação do meu médico (da Terceira) e perdi o ritmo. Hoje estou num sofrimento que nem te conto!
    Mas sim, queria coisas diferentes e fizeram-me a vontade! hahaha
    Bjs*

    ResponderEliminar
  3. Eu pratiquei, imagina, porque um seguidor do meu blog decidiu seguir-me um mês e dormir no carro à porta de minha casa, quando treinei era só eu e um elemento policial num campo de treino, ao fim da tarde no Verão, uma pessoa saía de lá purgada, suja, suada, mas confiante em esmurrar qualquer um... Foi do melhor que já fiz, e espero voltar a fazer, estou com um problema físico, mas não encontrarei um treinador só para mim, é uma coisa totalmente diferente e é complicado encontrar quem adore Krav Magá e o entenda na sua essência. Beijoca

    ResponderEliminar
  4. Bem, é preciso coragem para lidar com um stalker desses! Eu cá passava-me!
    Sim, o Krav deixa-nos suadas, sujas e com um odor daqueles. Mas sabes, foi uma grande ajuda para mim. Sempre tive uns tiques de OCD e cada vez que treinava rotinas com os meus colegas - igualmente sujos - era uma pequena vitória para mim :)
    Realmente poucos entendem o Krav, mas (presumo que vivas em Portugal Continental) tens várias escolas que seguem as linhas de orientação da Federação Europeia (a linha que seguia) e com mestres muito bons.
    Bj*

    ResponderEliminar
  5. Sim, vivo em Mafra, onde vive a mulher que levou os combates de kick para a Tailândia, a Dina e ela começou no Krav...

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Facebook

Mensagens populares deste blogue

Comentários que merecem ser post.