Sobre os colégios privados e outras manias dos portugueses

Queridos pais dos alunos que estudam em estabelecimentos privados financiados por todos nós:

O Estado não vos está a negar o direito a inscreverem os vossos filhos nos colégios privados. A mensagem é muito clara:

- Sim senhor, têm todo o direito a escolher a escola dos vossos rebentos....Desde que a paguem!


Comentários

  1. A questão é um pouco mais complexa do que apenas apresentada assim Moi, pelo menos na minha perspectiva e de anos de trabalho na área. Há apoios e apoios e colégios e colégios. Uma coisa é a vergonha do patrocínio pela parte do estado a colégios privados dirigidos por ex funcionários e familiares ou conhecidos. Isso sem é vergonhoso sejam colégios sejam outras empresas. Mas há uma coisa que acaba por ser esquecida que são os apoios à educação obrigatória. Não nos esqueçamos que o estado não tem creches nem berçários e a licença de maternidade/paternidade não dura os três anos para entrar em colégios públicos.
    E os apoios são uma percentagem minúscula não são pagas mensalidades com eles.
    Sobre o argumento de o contribuinte estar a pagar, não paga também o contribuinte pelo apoio a escolas públicas quando até nem tem lá os educandos? Ou seja há mesmo imensas questões que devem ser bem esclarecidas e também separadas para que se possa entender a totalidade do problema.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá olá!
      Discordo, lamento.
      Eu própria andei num colégio privado quando era mais nova, pago na totalidade pelos meus pais. Nunca tive direito a apoios. Hoje em dia, como dizes, o Estado não consegue assegurar creches para todos e isso, no meu entender, origina desigualdades. Os meus sobrinhos pagam a mensalidade máxima ao passo que tem lá miúdos que pagam 50 euros por mês. Achas correcto? Eu não, lamento. A minha filha vai para uma ama aos 6 meses e depois integrará o sistema público, até porque no Pico vão todos para a mesma escola. Se gostava de escolher outra escola? Óbvio, mas seria eu a suportar os gastos.
      Os pais dos alunos que estudam nos privados reivindicam o direito à liberdade de escolha. Que eu saiba esse direito não lhes foi negado. O Estado achou que, não havendo oferta suficiente no público, deveria pagar aos privados para receber os miúdos. Acho bem, mas se pensares um pouco na quantidade de escolas que têm sido fechadas nos últimos anos e que atiraram muitos professores/auxiliares para o desemprego, não faz sentido dizermos que temos de recorrer aos privados por falta de oferta no público.
      Para terminar, ouvi um pai dizer na TV "O Estado não tinha de construir escolas em localidades com colégios privados". Isso diz muito sobre esses pais...

      Eliminar
  2. Andei no ensino superior privado e o meu pai pagou tudo... Era só o que faltava!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, também paguei uma pipa de massa pelo meu curso. Universidades privadas são assim mesmo...

      Eliminar
  3. Andei sempre no público, as minhas filhas andam no público e não concordo que se ande a gastar dinheiro com os privados, pois que esse dinheiro podia ser investido no melhoramento do ensino público.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro! Ainda mais depois de tantos anos a negligenciar a escola pública. Os milhões que se gasta no privado podiam ser canalizados para obras em muitas escolas públicas que funcionam sem condições.

      Eliminar

Enviar um comentário

Facebook

Mensagens populares deste blogue

Comentários que merecem ser post.