Mensagens

A mostrar mensagens de Setembro, 2016

Ir à Universidade é quase como ir à tropa

Numa altura em que se fala de colocações no ensino superior, achei por bem escrever sobre a minha ida para a Universidade. Para começar, quero deixar bem claro que só me candidatei a um curso numa universidade. Comigo é assim: Ou vai, ou racha. Tive mais sorte que juízo. As más línguas dirão que só entrei porque era privada. Em Setembro de 2005 lá fui eu com a minha mãe para Lisboa. Era preciso fazer inscrição, tratar da casa, comprar livros e mais uma data de coisas. Tratámos de tudo em tempo recorde e, no primeiro dia de aulas, lá fui para a escolinha dos grandes. 
1º dia: Fui mais cedo para procurar a sala. Mesmo assim, consegui a proeza de me perder e, por isso, chegar atrasada à primeira aula. Introdução à Economia. Mal sabia eu que ia desistir da cadeira e só voltar a olhar para ela no último ano de curso. Quando entrei na sala assustei-me: Vi barbies, um motoqueiro, muitos marrões e malta mais velha. Sentei-me sozinha num cantinho e rezei - uma boa estratégia, tendo em conta que estu…

2 meses

Imagem
Há dois meses conheci-te e apaixonei-me. Eras tão pequena, tão frágil, tão perfeita.  No dia em que nasceste, nasci como mãe. Mudei drasticamente para tentar ser aquilo que precisas. Todos os dias aprendo um pouco mais sobre esta coisa da maternidade. Cometo erros, ando cansada e nem sempre consigo ser a mãe que mereces. Mas no fim, quando vejo que é no meu colo que procuras consolo, percebo que até me estou a sair bem. Feliz mesversário Mafalda. Amo-te!


Música para os meus ouvidos

Imagem
Não me canso de a ouvir.

É mais fácil culpar o vizinho...

Imagem
Há cerca de dois dias vi uma partilha de um post sobre viagens aéreas de e para o aeroporto da Horta. Comentei com o meu marido, picaroto ferrenho, que quis mandar o seu palpite. Perguntou-me se podia usar o meu FB, uma vez que já estava na publicação. Concordei. Afinal de contas um comentário não mata, certo? Errado.
Para quem não conhece os enredos destas ilhas, vou fazer um resumo: O Faial sempre foi beneficiado em relação ao Pico. Os picarotos eram tão campónios que até para fazerem compras tinham de apanhar o barco. Pessoas, não estou a exagerar quando digo que isto era o fim do mundo. Adorava vir cá de férias, mas nem me passava pela cabeça trocar a Terceira por isto. Felizmente os picarotos são teimosos que nem mulas. Nunca foram nas conversas do Governo Regional e sempre exigiram aquilo a que tinham direito. E a verdade é que o Pico evoluiu muito nos últimos anos. O Faial nem por isso.
Ora, o meu marido começou o comentário com «Temos muita pena» e isso, senhores, é que matou tudo…

Facebook